Economia Compartilhada na Decoração

Tempo de leitura: 13 minutos

Economia Compartilhada na Decoração
AVALIE O ARTIGO!

Certamente você já ouviu falar em Economia Compartilhada.

Economia Compartilhada na Decoração

Pode ser que esse “nome” ainda seja algo novo para seus ouvidos, mas saiba que esse tipo de economia veio para ficar, e pode ajudar em diversos setores de sua vida, inclusive na sua maneira de decorar!

Economia Compartilhada, dividir para somar.

O que é Economia Compartilhada?

Economia: Controle ou moderação das despesas; poupança. Ciência que estuda os fenômenos relacionados com a obtenção e a utilização dos recursos materiais necessários ao bem-estar.

Compartilhar: Ter ou tomar parte em; arcar juntamente. Compartilhar com, partilhar com.
O próprio nome já mostra seu uso, e define sua essência. Economizar compartilhando!

Todos somos interligados - Economia Compartilhada
Todos somos interligados

Em meio a uma crise, esta é a melhor forma de manter suas preferências, ajudar no meio ambiente e ainda criar uma relação mais próxima com pessoas que talvez passassem batido em sua vida. Parece uma fórmula magica, mas que se aplica de forma fantástica na vida real.

Unindo os dois termos, Economizar + Compartilhar, temos o mais novo setor que vem se alavancando, por se integrar perfeitamente com as nossas necessidades, e com essa nova forma de ver a vida que se espalha por todo o Mundo.

Entenda o Conceito de Economia Compartilhada

Você já parou para pensar em como todos nós estamos conectados?

Poltrona e Puff Charles Eames

Interligados por nossas necessidades cotidianas?

Sim, nós todos sempre temos algo em comum. A ideia de compartilhar redefine o nosso sentido de comunidade, e ainda nos ajuda a economizar!

Compartilhando Recursos para um Bem Maior
Compartilhando Recursos para um Bem Maior

Esse novo modelo econômico que vem ganhando espaço é a Economia Compartilhada, uma forma de integrar as preocupações ambientais, com as necessidades econômicas de cada um.

A economia compartilhada veio para melhorar a vida

Setores do Sistema

A Economia Compartilhada pode ser dividida em diversos setores e sistemas, ajudando mutuamente a todos:

Poltrona Shell

  1. Redistribuição: Quando algo que não é mais utilizado em um local, passa para outro onde será melhor utilizado. Reduzindo, Reutilizando, Reparando e Redistribuindo, esses são os “4R” da Economia Compartilhada.
  2. Colaboração: Parte do sistema que incentiva o compartilhamento não só de produtos, mas de dinheiro, habitação e até mesmo o tempo individual.
  3. Dividir é Economizar: Comprar produtos, ou contratar serviços, visando a divisão do valor do serviço prestado. E isso funciona para praticamente todo tipo de serviço prestado.

Economicamente justa, ecologicamente correta, a Economia Compartilhada veio para ficar!

Como Funciona a Economia Compartilhada

A Economia Compartilhada, ou Economia Colaborativa, nada mais é que uma nova forma de ecossistema socioeconômico criado e construído em volta do compartilhamento de recursos físicos e humanos.

Decoração levando em conta o ecossistema
Decoração levando em conta o ecossistema

Esse partilhamento e compartilhamento, inclui a produção, criação, distribuição, compartilhamento de comércios, serviços, organizações e bens de consumo.

Já parou para pensar em quanta coisas podemos dividir? Em tudo que podemos compartilhar com nosso próximo? Se não pensou, pense agora, é muita coisa!!

Exemplo de aplicação da Economia Compartilhada:

Uma das maiores e mais usuais formas de se ver essa nova economia, ou melhor dizendo, essa nova forma de utilizar produtos e serviços, é a carona. Tenho certeza que você já deu ou recebeu uma “caroninha”.

Mas a ideia se amplifica com a Economia Compartilhada. Dividir em setores as pessoas que moram e trabalham próximas, pode facilitar na hora de colocar a “carona” em prática.

catalogo-arquiteto-designers

Algumas pessoas do mesmo prédio trabalham próximas, ou vão sempre para o mesmo destino, ao invés de irem cada uma em seu carro, se unem e utilizam apenas um veiculo.

Existe uma economia gigante!

Afinal em um carro cabem em média 5 pessoas, se cada uma dessas pessoas fossem utilizar seu próprio veiculo, teriam 5 vezes mais gasto com combustível, 5 vezes mais gastos com a vida útil do carro, 5 vezes mais cansaço em passar um tempo no transito, 5 vezes mais gastos com estacionamento. E além de tudo, não conseguiriam colocar o papo em dia durante a carona.

Aqui no Brasil essa forma de pensar é relativamente nova, mas nos EUA a utilização de caronas colaborativas já ganhou espaço vitalicio a muitos anos.

Atualmente o UBER está em alta, proporcionando carona segura entre pessoas desconhecidas.
E a economia não é só financeira, quanto menos veículos motorizados andando por nossas ruas, menor é a poluição.

Então vamos unir as grandes “sacadas” da “Economia Compartilhada” nas caronas:

  1. Economia de dinheiro.
  2. Economia de tempo.
  3. Economia de bens de consumo.
  4. Economia do nosso bem mais precioso, a natureza.

Não para por ai…

Nossa mais nova grande amiga, a Economia Compartilhada, se encaixa em diversos setores da sociedade e dos bens de consumo/produto.

Sabe aquela roupa, sapato ou adereço, que você não usa mais? Doe ela para alguém, em troca de algo que o seu próximo tenha, e que te interesse.

Closet sem excessos
Closet sem excessos

Assim você economizou dinheiro, protegeu a natureza do gasto para fabricação de um novo utensílio, e ficou ainda mais feliz.

Deu aquela vontade gigante de renovar a decoração da sua casa? Troque, doe ou revenda seus produtos antigos, assim você ajuda alguém que não teria o dinheiro para comprar um produto novo, e ainda ganha um extra para renovar sua decoração. Desapegue!

Renove seu guarda-roupa e sua decoração utilizando a Economia Compartilhada.

Nessa ideia surgiram diversas páginas de redes sociais que trocam roupas, sapatos, utensílios domésticos, móveis, carros, trabalhos e serviços.

Compartilhar, Economizar e Decorar

Existem vários fatores que fazem com que a Economia Compartilhada ajude na hora de modificar a decoração. Alguns podem fazer você economizar grande porcentagem, tanto na mão de obra, quanto nos produtos inseridos dentro do seu design de interiores.

Na hora de colocar um quadro na parede é necessário “furar a parede”, e caso você não tenha uma furadeira, ou não seja a pessoa mais experiente para fazer esse furinho em sua parede, o esperado é que você contrate alguém.

Quadros na Parede
Quadros na Parede

A ideia é que este alguém, ou esta furadeira, não sejam pagos com valor monetário, e sim com a “troca” por algum outro produto ou serviço.

Serviços mais em conta, e troca não monetizada, são característicos da Economia Compartilhada.

Alguém vai furar sua parede, em troca você repassa algo de sua decoração que não esteja mais utilizando, e isso vai fazer sua decoração não ficar superlotada, e ainda economizará para compra de algo que seja necessário.

Ou então, você e seus vizinhos, juntos, compram uma furadeira, e ela será utilizada por todos. Dividiram o gasto, e multiplicaram o uso.

Foque na divisão e diminuição dos gastos, e aumento do uso.

O exemplo da furadeira pode ser utilizado para muitas outras necessidades, em diversas áreas não só da decoração, mas de toda sua vida.

Economizando na Compra de Móveis e Objetos Decorativos

Quando decidimos redecorar ou decorar um ambiente, existe a necessidade de fazer novas compras, mas se essa compra for compartilhada? Se esse novos utensílios e objetos forem comprados de forma colaborativa? Será que funcionaria? Sim!!!

Decoração descolada e cheia de novidades
Decoração descolada e cheia de novidades

A forma de envio e recebimento de novos produtos pode afetar muito no orçamento de sua construção ou decoração.

Então a Economia Compartilhada te da a nova ideia de “comprar junto”.

Comprar junto diminui os gastos, e aumenta os lucros.

Em diversos comércios, ao se comprar em maior quantidade, existe um desconto maior no total de produtos.

Não estou falando de sites de compras coletivas ou serviços que visam vender uma quantidade de mínima de peças para que tal desconto seja “desbloqueado”. Estou falando realmente de compra consciente e em grupo, onde este grupo terá maior poder de negociação para aquisição de um novo bem ou serviço.

Unindo seus conhecidos, amigos ou vizinhos, você pode comprar itens necessários para sua decoração, por um valor muito menor.

Alem disso, no caso de vizinhos, tanto de casas, prédios ou condomínios, é interessante se pensar no transporte dos produtos. Assim economizando com o valor final do frete.

Ao invés de você comprar um sofá, seu vizinho comprar uma televisão, e o conhecido comprar um abajur, cada um em um local distinto, ou em comprar separadas, todos podem comprar juntos.

Essa é uma grande sacada da Economia Compartilhada, fazer com que a união entre as pessoas, reduza significativamente seus gastos com diversas áreas da economia.

E ainda assim, ajudar e muito na diminuição da poluição, pois o frete inclui gasto de combustível, e esse gasto, assim como o valor da entrega, diminuiria significativamente.

Colocando em Prática – Ideias e Dicas

Converse entre seus amigos e colegas, tanto no trabalho, quanto na vizinhança, quais as suas necessidades.

Se existe alguém que está precisando de algum produto, similar ou que se encontre em um comercio onde exista algo que você também esteja necessitando. Ai então façam o pedido juntos!

Dê uma olhada nesse aplicativo sensacional, ele promove a venda de produtos entre pessoas próximas: skina-app.com

Decorando, Economizando e se Divertindo
Decorando, Economizando e se Divertindo com a Economia Compartilhada

Isso vale para grandes e pequenas compras, em grandes ou pequenas empresas.

Afinal, mesmo que você compre um pequeno produto (que teria um frete alto relativo ao valor de um único produto), quando comprado com outros produtos (de seus vizinhos, amigos ou conhecidos), terá um frete de valor final e individual muito menor.

Já parou para pensar em quanto pode economizar se unir todos seus amigos que querem decorar a casa, e comprarem todos os produtos juntos? Muito dinheiro economizado!!

Exemplo:

Um produto X, é comprado por Ana, e sai com um frete no valor “10A”.

Caso este produto seja comprado juntamente com outros produtos, de pessoas diferentes que morem próximas, o frete será dividido entre mais pessoas.

Então Ana comprou o produto X, Carla o produto Y, e João o produto Z. Unindo todos os produtos o calculo do frete no valor é de “15A”.

Dividindo entre todos os compradores, o frete que inicialmente (na compra individual) sairia “10A” por pessoa, vai sair “5A”! Isso mesmo, uma economia de 50%.

*Levando em conta que X, Y, Z são os respectivos produtos, e “A” é sigla de nossa moeda.

Logicamente que este é um exemplo fictício, mas que acontece na vida real, e pode ter em alguns casos uma economia maior ainda. Pois em algumas empresas, irão existir descontos por quantidade comprada, mais o desconto final do Frete.

Parece um sonho, mas é a realidade que se tem quando compartilhamos nossas coisas!

Mudanças no Cotidiano

Algumas mudanças são visíveis quando se insere a Economia Compartilhada no cotidiano.

Tanto quanto na possibilidade de se adquirir novos produtos por um valor final menor, quanto na mudança social que ela opera.

Surge agora esse novo modelo de renda e emprego, que se efetua na prestação de serviços, diminuição do consumo exagerado, e aumento na variedade de produtos aos quais você têm acesso.

  • Unir pessoas.
  • Economizar dinheiro.
  • Diminuir os efeitos da poluição e da devastação ao Ecossistema (em pequenas ou grandes proporções).
  • Aumentar a qualidade de vida.

Esses são alguns dos principais fatores que fazem a Economia Compartilhada, ser algo tão em alta no momento.

A Economia Compartilhada faz com que se crie uma nova sensação, uma experiência nova de socialização e relação humana.

Ramos em que a Economia Compartilhada atua

Espaço que pode ser utilizado para interação com outras pessoas
Espaço que pode ser utilizado para interação com outras pessoas
  • Transporte: Compartilhe seu carro, pegue ou dê carona, alugue uma bicicleta, divida o frete, etc… (ajude o seu bolso e diminua a poluição)
  • Espaço: Alugar um quarto de sua casa, dividir o espaço do trabalho. (diminuindo seus gastos mensais)
  • Bens: Compre, venda ou troque objetos, roupas e até mesmo vagas de garagem. (economizando e ajudando o próximo a economizar também)
  • Comida: Oferecer café da manha, almoço, janta ou lanche na própria casa. (Já que vai cozinhar, porque não ganhar um dinheiro extra e ainda ajudar outras pessoas a economizar)
  • Serviços: Contrate prestadores de serviço que inovam e sem intermediários. (pesquise sempre o prestador de serviço)
  • Dinheiro: Faça empréstimo de dinheiro com outras pessoas, ou empreste você o dinheiro. (com muita cautela sempre)

Há vários aplicativos sobre economia compartilhada, veja o exemplo do Onde Parar, um aplicativo onde você pode alugar sua vaga de carro para outras pessoas, seja por um tempo determinado ou mensal. Na mesma linha temos o AirBnb, o maior site de hospedagem do mundo (sem hotel).

Pilares do Sucesso

Os pontos que fazem desse sistema um sucesso são:

  1. Social: levando em conta o aumento da população.
  2. Sustentabilidade: que avança para suprir as necessidades de toda população.
  3. Economia: monetizando o estoque ocioso ou excessivo que o Mundo capitalista construiu.
  4. Tecnologia: utilização de meios de comunicação, redes sociais, novos dispositivos e vendas online para propagação de produtos e serviços.

Resumindo e Relembrando

Resumidamente percebemos que o necessário é ter uma Economia Colaborativa, e nunca uma Economia Centralizada.

Economizando, ainda podemos ganhar um dinheiro extra, ajudamos o planeta e a sociedade, e ainda por cima facilitamos a nossa vida.

Tópicos a serem lembrados:

  • O que é Economia Compartilhada?
  • Entenda o Conceito de Economia Compartilhada!
  • Setores do Sistema.
  • Como funciona.
  • Não para por ai.
  • Compartilhar, Economizar e Decorar.
  • Economizando na Compra de Móveis e Objetos Decorativos.
  • Colocando em Prática – Ideias e Dicas.
  • Exemplos.
  • Mudanças no Cotidiano.
  • Ramos em que a Economia Compartilhada da atua

Se você se tornar adepto da Economia Compartilhada, vai estar fazendo um bem para o seu bolso, e para toda a sociedade!

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário.

Já vive em Economia Compartilhada? Compartilhe conosco a sua experiência.

Um Abraço.

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *